6 coisas que você DEVE fazer ao adotar um cachorro

Além de ser um ato de amor, a adoção de animais é uma responsabilidade social que exige cuidados.

A adoção de um animal abandonado é uma expressão de muito amor e solidariedade por parte de quem realiza essa ação. Mas ela também exige bastante compromisso, responsabilidade e dedicação dos tutores para adaptarem a rotina e o ambiente da casa à chegada de um novo membro na família.

Contudo, não pense que essas mudanças se restringem apenas a situações comuns como saber administrar remédios antipulgas e carrapatos, fazer visitas ao veterinário ou construir uma cama para o pet. É preciso entender que essa é uma jornada desafiante que varia de acordo com o animalzinho.  

Então, se você tem esse desejo de levar um cachorro abandonado para morar na sua casa, recomendamos que leia o guia exclusivo a seguir. Colocamos abaixo todos os cuidados necessários para garantir que a adoção seja feita da melhor forma possível, com uma adaptação rápida e confortável para o pet. Confira!     

1. Leve o animal para uma visita ao veterinário

Independente se você resgatou o cãozinho na rua ou o adotou por meio de uma ONG, não deixe de levá-lo prontamente ao médico veterinário para uma análise criteriosa do seu estado de saúde.

Além de descobrir se o pet está com algum tipo de doença, essa consulta será essencial para tirar todas as dúvidas dos tutores acerca dos cuidados específicos que devem ser tomados no dia a dia do animal. Isso inclui definir a melhor alimentação, os remédios adequados e o prazo para a vacinação.   

2. Faça adaptações na casa para receber o pet

A cada canto da casa podem existir inúmeros itens perigosos para os cachorros, como plantas, objetos cortantes e alimentos que eles não podem consumir. Então, a recomendação é que o interior da casa passe por adaptações para garantir a segurança do animalzinho, até mesmo antes que ele chegue.

Dessa forma, é interessante priorizar um espaço livre na casa, principalmente se o cachorro adotado for uma espécie de grande porte. Assim, o cachorro terá mais possibilidades de se divertir, sem precisar fazer visitas ao ambiente externo com tanta frequência.  

3. Observe o comportamento do animal adotado

A mudança de ambiente nem sempre é enfrentada pelos cachorros com facilidade, podendo até desencadear o aparecimento de transtornos psicológicos e emocionais nos animais adotados. Por isso, os tutores devem estar sempre atentos aos sinais do seu amigo de quatro patas.

De modo geral, é comum que aconteça um estranhamento no período de adaptação ao novo lar, deixando o animalzinho assustado, esquivo ou triste. Para que ele se sinta confortável aos poucos, o ideal é deixá-lo bem livre dentro de casa, evitando xingos quando, por exemplo, ele fizer xixi em locais inapropriados.

4. Escolha uma alimentação adequada

Sem dúvida, nenhum animal é igual ao outro, por isso não faz sentido apostar somente na tradicional ração na hora de alimentar o seu amigo de quatro patas. Portanto, converse com o médico veterinário e avalie junto desse profissional como montar o cardápio perfeito para seu cãozinho adotado.

Além disso, não esqueça também de descobrir a melhor rotina de alimentação para o seu animal, escolhendo os horários adequados para as refeições e a quantidade certa de alimento oferecida em cada porção. Essa questão ainda deve considerar outros aspectos como o peso, a idade e o porte do pet.  

5. Realize a castração do pet 

A castração é uma excelente alternativa para reduzir o número de animais que acabam abandonados nas ruas. Por isso, logo que concluir o processo de adoção, já pense imediatamente na possibilidade de levar seu cachorro para ser castrado. 

Normalmente, os pets que vieram de ONGs ou clínicas veterinárias costumam passar por esse procedimento, mas o mesmo não ocorre com tanta frequência com os animais retirados das ruas. Porém, pesquise bastante antes de definir um especialista para executar essa operação, buscando um profissional que atue com segurança e credibilidade.  

6. Procure ajuda especializada  

A adaptação de um cachorro adotado é realmente um momento bastante desafiador e nem sempre os pais e mães de pet de primeira viagem darão conta desse período turbulento sozinhos.

O melhor a se fazer nesses casos é procurar a ajuda de profissionais especialistas para aprender a lidar com a situação. Uma boa opção para os tutores é contratar os serviços de adestradores para realizar atividades de treino e socialização com o pet, ajudando-o a se comportar melhor no dia a dia.