Como posicionar um e-commerce entre os primeiros do Google

e-commerce seo

Um dos principais objetivos que você deve definir ao possuir uma loja on-line é aparecer nas primeiras posições no Google. Sua loja on-line precisa ser uma das primeiras a aparecer quando alguém procura um de seus produtos.

Se você não aplicar o SEO à sua loja, dependerá de fontes de tráfego pagas, como Google Ads,  Facebook Ads ou produtos patrocinados.

Tudo isso custa dinheiro e dinheiro não é abundante ao iniciar uma loja online. No entanto, se você conseguir posicionar sua loja no topo, receberá tráfego gratuito e constante.

Qual é o problema?

Existem muitas lojas e uma enorme concorrência.

Para aparecer diante deles, você precisa fazer melhor que eles e não precisa contratar uma Agência em SEO ou Agência de Link Building para isso. Mas, o que você pode fazer para melhorar? Para começar, você pode  seguir este guia de SEO para lojas virtuais e começar a perceber como o seu site está classificado nas primeiras posições do Google.

Vamos posicionar!

Conceitos básicos de SEO on-page (na página) para comércio eletrônico

De um ponto de vista geral, existem duas possíveis otimizações de SEO:

  • Na página: trata dos fatores que dependem 100% de nós e são controlados em nosso site.
  • Fora da página: esses são fatores externos que não podemos manipular 100%.

Mas vamos começar do começo, não é? A parte essencial é controlar tudo o que acontece em casa e, em seguida, veremos o que acontece lá fora.

Vamos dar uma olhada em algumas ideias e conceitos-chave para o SEO da sua loja.

1. Arquitetura da informação

Abra os olhos, porque esta é uma das chaves para o Google posicionar sua loja virtual.

O primeiro passo para fazer o Google te amar é garantir que ele o entenda. Assim como qualquer casal, não há amor sem entendimento. 😉

Para fazer isso, você precisa organizar todas as informações do site de maneira clara. A estrutura que recomendamos é chamada de “estrutura de silo”.

Um exemplo claro é uma loja de roupas.

Dê uma olhada na imagem acima; na página inicial, você pode encontrar categorias no próximo nível, como “calças”, “camisas” ou “sapatos”.

O URL da categoria de calças seria:

seudominio.com/calcas

Dentro de cada uma das categorias, há produtos pendurados nela, ou talvez subcategorias.

Imagine que a loja mencionada tivesse uma subcategoria para calças:

  • Moletom;
  • Jeans;
  • Boca de sino;
  • Curtas;
  • Etc.

O URL final, com a categoria, subcategoria e o produto, seria algo como:

seudominio.com/categoria/subcategoria/produto

Se, por exemplo, o produto final fosse um par de jeans 404 da Levi, o URL seria:

seudominio.com/calcas/jeans/levis-404

O que conseguimos com isso é que as informações são organizadas e tornam muito mais fácil a leitura e compreensão do robô do Google.

Leia também sobre o Core Web Vitals.

2. Cada URL atinge uma palavra-chave principal

Um erro muito comum é não saber onde colocar as palavras-chave mais importantes.

Caso você esteja apenas começando, as palavras-chave são os termos que queremos pesquisar e serem mostrados nos primeiros locais dos resultados do Google.

Em nossa loja imaginária, podem ser:

  • Calças: é quase impossível posicionar (cauda curta, a palavra-chave é muito curta).
  • Calças curtas: para um novo domínio, também é quase impossível – você precisaria de muita autoridade. Embora caudas médias sejam mais interessantes em outros setores, normalmente são categorias ou subcategorias.
  • Jeans 404 da Levi: cauda longa, quanto mais precisa a pesquisa, mais possível ela será posicionada.

Lembre-se dessa ideia:

A essência do SEO de uma boa arquitetura para um comércio eletrônico é que cada URL atinge apenas uma palavra-chave.

Vamos explicar isso um pouco.

As categorias de calças, se incluir texto, devem incluir conteúdo semanticamente relacionado a calças. Também deve estar vinculado abaixo (lembre-se da figura) da subcategoria “jeans”.

Cada subcategoria, se você optar por usá-los, também terá conteúdo sobre o conceito – jeans nesse caso.

Nessas subcategorias, teremos os produtos que realmente queremos posicionar e também precisaremos escrever um descritivo de produto exclusivo com palavras relacionadas.

O que esses níveis de URL estão dizendo aos pesquisadores é que cada nível acima é mais importante na hierarquia de informações de comércio eletrônico.

Se você pensar bem, conforme analisamos os diferentes silos, as palavras-chave se tornam cada vez menos difíceis de classificar.

Leia sobre o Google Sandbox.

3. Otimize a posição da sua loja, evitando a canibalização de palavras-chave

Se sua estrutura de comércio eletrônico não estiver bem definida e o Google não souber quais palavras-chave correspondem a cada URL que ele deve posicionar, você corre o risco de canibalização de palavras-chave.

Isso significa que vários URLs estão posicionados para a mesma pesquisa, diminuindo a força de cada um deles.

A estratégia mais frequente é tentar posicionar as categorias, pois seu conteúdo é sempre o mesmo. Os produtos, por outro lado, estão sempre mudando; eles podem estar esgotados ou não estar mais na moda.

Para isso, também é comum não indexar os descritivos de produtos, concentrando toda a sua força no ranking das categorias.

Uma exceção seria o caso desses produtos com pesquisas muito precisas. Se uma grande quantidade de pessoas procurar por “jeans Levi’s 404”, devemos indexar o URL e tentar posicioná-lo.

Agora vamos falar sobre algumas das outras dúvidas mais comuns.

4. Categorias x tags – indexe ou não indexe?

A resposta é fácil, embora a explicação não seja. Mas depois que você entende o conceito de canibalização, fica mais fácil.

Bem, vamos revisar a diferença entre categorias e tags.

Em nossa loja imaginária, definimos anteriormente algumas categorias, como sapatos, camisas e calças. Tags seriam as diferentes características que os vários produtos podem compartilhar, como a cor.

A tag “vermelho” agrupa todos os produtos vermelhos e cria um URL como seudominio.com/vermelho.

O que normalmente acontece é que esta página mostra apenas os produtos e suas descrições. Isso pode ter consequências muito negativas:

  • Conteúdo fino: ou conteúdo de baixa qualidade. O Google não gosta de perder tempo procurando sites que acrescentam pouco ou nada.
  • Conteúdo duplicado: devido às descrições repetidas.

Se você não souber usá-los corretamente, a melhor dica para o seu SEO é não usá-los ou indexá-los.

As categorias, como já dissemos, são aquelas em que devemos focar todo o nosso esforço de SEO para comércio eletrônico.

Como usar o blog para reforçar seu SEO de e-commerce

Já mencionamos várias razões pelas quais sua loja deve ter um blog, mas hoje vamos focar apenas no SEO.

Exigirá paciência e esforço, mas a recompensa virá.

O prêmio é chamado de tráfego orgânico e é composto por pessoas que pesquisaram algo relacionado ao seu setor e acabaram na sua loja virtual.

Obter tráfego orgânico permite economizar dinheiro em anúncios e outras formas pagas de obter tráfego (anúncios no Facebook, Google Ads e etc.).

Você também economizará dinheiro em campanhas de anúncios, pois poderá seguir uma estratégia de remarketing com os visitantes cujo primeiro contato ocorreu como resultado do SEO.

A estrutura do silo que mencionamos também pode ser aplicada ao conteúdo. Se o seu blog falar sobre tópicos diferentes, agrupe-os em categorias e use-os para classifica-lo.

Como sempre, lembre-se de que cada URL, ou seja, cada postagem, deve atingir apenas uma palavra-chave.

Depois de ter uma estrutura bem definida, evitando a canibalização e fortalecendo suas categorias, é hora de começar a criar conteúdo.

Determinar quais palavras você deve pressionar primeiro é a primeira das 5 dicas a seguir para trabalhar no seu posicionamento da loja virtual.

5 dicas de SEO para aumentar seu ranking no e-commerce

Agora que as principais ideias foram entendidas, vamos ver algumas dicas que você deve saber:

1. Como realizar um estudo de palavras-chave para comércio eletrônico e analisar todas as palavras-chave possíveis para posicionamento

Antes de pensar em posicionar sua loja online,  você precisa saber exatamente o que precisa posicionar.

Você pode usar o Ubersuggest para descobrir todas as palavras-chave que funcionam para seus produtos e que podem gerar novos clientes.

Depois de ter uma boa lista de palavras-chave, você deve classificá-las. Faremos isso dependendo da página em que vamos atacá-los.

  • Página inicial: se você optar por adicionar conteúdo à sua página inicial, ela deve apontar para as palavras-chave mais difíceis do seu setor. A raiz é o lugar mais poderoso para se posicionar e é por isso que devemos usá-la para as palavras mais disputadas.
  • Categorias: a menina dos nossos olhos de SEO – as taxonomias serão nossas páginas em estrela e devem ter conteúdo de qualidade. Ao fazer uma lista das palavras-chave, destaque as que você usará aqui com uma cor diferente.
  • Produtos: são palavras-chave com modelos ou produtos específicos (se você decidir indexá-los).
  • Blog: Se você descobrir que há pesquisas relacionadas ao seu tópico, agrupe-as na sua lista com uma cor diferente.

No início, é aconselhável tentar obter palavras-chave de cauda longa. Essas palavras-chave são mais fáceis de posicionar e normalmente levam a mais conversões, pois oferecem melhores resultados nas pesquisas.

Quando alguém procura um vestido vermelho para um casamento e você oferece um resultado exato, há uma possibilidade maior de posicionar e vender seus produtos do que aqueles que oferecem apenas um vestido vermelho.

DICA: Como usar o planejador de palavras-chave

Desde que sua loja on-line esteja 100% concluída e todos os produtos estejam listados, o  próprio Planejador de palavras-chave informará a maioria das palavras-chave que você deve posicionar.

Para descobrir, basta digitar o nome do site em “Sua página de destino” e clicar no botão “Obter ideias” sem inserir nenhuma palavra-chave.

2. Analise sua concorrência

Se um de seus concorrentes está fazendo algo realmente bom,  por que não fazer a mesma coisa enquanto melhora a técnica ou o conteúdo?

Usando o SEMrush, você pode ver todas as palavras-chave que outras lojas on-line estão usando, o conteúdo que estão usando e por que o fizeram.

Você também pode usar o mesmo truque mencionado anteriormente, inserindo o URL no Planejador de palavras-chave do Google Ads.

Isso ajudará você a saber quais são as melhores palavras-chave e, dependendo da autoridade da sua loja online, quais você pode “roubar” para atrair tráfego de qualidade para o seu site.

DICA

Para ver quais páginas do seu domínio são consideradas mais importantes pelo Google, digite-as no mecanismo de pesquisa após a palavra “site:”. A ordem em que são mostrados será a hierarquia imposta pelo Google.

3. Crie categorias de qualidade e descritivo de produtos

Basta dar uma olhada em qualquer loja on-line e analisar suas categorias e descritivos de produtos. Provavelmente, 8 em cada 10 nem têm uma descrição de categoria e 5 ou 6 deles têm descrições ruins de características de produtos.

Essa é uma vantagem importante para quem sabe tirar o máximo proveito disso e vamos aproveitar a oportunidade.

Crie descrições de categoria detalhadas usando as palavras-chave que você descobriu nas etapas anteriores.

Vá além, adicione essas palavras-chave nas características dos produtos, evitando as descrições típicas usadas por outras lojas.

Evite conteúdo duplicado nos descritivos dos produtos

As descrições são uma parte muito importante e merecem todo o seu esforço. Aprenda sobre copy para comércio eletrônico e escreva textos persuasivos.

Mas faça o que fizer, nunca use os fornecidos por padrão ou copie os usados ​​por outras lojas.

Esse é um erro típico nas lojas virtuais, que vendem as mesmas coisas que outras muitas lojas e apenas fazem alguns trabalhos de copiar e colar para as descrições de seus produtos.

Esta etapa é uma parte crucial do SEO na página de qualquer loja virtual. A atualização do Panda no algoritmo é a responsável por verificar o conteúdo duplicado; lojas que não o seguem raramente estão bem posicionadas.

4. Use o poder dos vídeos

O Google adora vídeos e adivinhe? O mesmo acontece com seus usuários. De fato, de acordo com um estudo da DigitalSherpa, 90% dos usuários afirmam que um vídeo os ajudou na decisão de compra.

O uso desses vídeos proporcionará mais tempo de visualização aos seus produtos, você terá mais conversões e poderá usá-los para outras propagandas ou redes sociais.

Você não apenas melhorará o posicionamento de sua loja, mas  também aumentará o número de vendas.

5. Verifique se há links quebrados

Em muitas lojas online, é bastante comum remover produtos descontinuados ou antigos regularmente.

Mas, o que acontece se você remover apenas o produto e sua página?

Você cria um erro 404 e aborrece o Google porque procura uma página que não existe mais.

De fato, você pode até ter posicionado bem esta página e estar recebendo tráfego para uma página quebrada. Para resolver esse problema, crie redirecionamentos 301 para outros produtos ou categorias.

Por exemplo, se alguém estiver procurando pelo modelo 2021 de um produto em sua loja e você já o tiver removido, redirecione esse link para o modelo 2022. Você manterá o posicionamento dessa página, evitará incomodar o Google e não fará com que o usuário perca tempo clicando em um link quebrado nos resultados de pesquisa.

6. Experiência do usuário

O fator de posicionamento que está se tornando cada vez mais importante para o Google é a experiência do usuário.

É avaliado usando algumas destas métricas:

  • Tempo gasto na página;
  • Páginas visitadas;
  • Taxa de rejeição;
  • CTR.

É inútil ser mostrado na primeira posição do SERP se os usuários não gostarem do que veem e simplesmente saírem quando abrirem o site.

O Google medirá isso e você será expulso das primeiras posições após alguns dias.

Apenas pense que o Google deseja é oferecer o melhor resultado para cada consulta. Se as métricas indicarem que os usuários não estão satisfeitos, isso mostrará menos resultados e favorecerá os concorrentes.

A atualização mais importante para o algoritmo, que controla a experiência do usuário, é chamada RankBrain e se tornará cada vez mais importante em relação ao posicionamento na web.

SEO fora da página para lojas online

Até agora, tudo o que explicamos estava relacionado a melhorias que podemos fazer em nosso site, conhecido como SEO na página.

Além do que depende de nós, existem outros fatores externos para o posicionamento, e é por isso que os chamamos de “fora da página”.

O Google, em algum momento, fez algo diferente do que seus concorrentes, Yahoo e AltaVista, costumavam fazer – usava um algoritmo baseado em links. Embora os links não devam ser tão importantes mais, a verdade é que eles ainda são.

Uma boa estratégia de criação de links é importante, mas é importante começar do começo e concentrar seus esforços no SEO na página.

Aprenda tudo sobre link Building.

Leve o seu SEO de e-commerce ao próximo nível e devore seus concorrentes

Após estas 5 etapas básicas, você poderá ver como sua loja virtual melhora sua classificação no Google.

Apesar da enorme quantidade de competição, poucos sabem como posicionar sua loja virtual  bem e agora você está entre poucos.