O que é o Programa Algodão Brasileiro Responsável?

Conheça mais sobre o Programa Algodão Brasileiro Responsável, que garante matérias-primas sustentáveis no desenvolvimento de coleções de moda.

Muito além do estilo, a moda vem se tornando cada vez mais sustentável. Diante de tantas mudanças climáticas e a ameaça do aquecimento global, os consumidores não perdem tempo e estão sempre em busca de marcas que sigam práticas voltadas para o meio ambiente. Seja uma roupa de moletom, uma calça jeans ou até looks de festa: a regra é ser ecológico ao máximo!

Diante disso, várias empresas estão firmando parcerias sólidas e participando de ações capazes de facilitar essa transformação. Uma delas é o Programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR), criado pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa). O foco é tornar o uso do algodão — principal matéria-prima da indústria têxtil — mais responsável e “verde”, gerando impactos positivos para toda a cadeia produtiva.

Assim, caso queira saber mais sobre esse processo e explorar o backstage da produção de suas roupas, não saia daí. Neste post, contamos tudo sobre esse programa, os seus benefícios e perspectivas. Vamos lá?

Tudo sobre o Programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR)

Criado em 2013 pela Abrapa, em parceria com associações estaduais de produtores nacionais, o Programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR) tem como objetivo produzir um algodão que seja sustentável.

Mas o que isso significa? Quer dizer que o cultivo da fibra deve zelar não somente pelo meio ambiente e pelo lucro de um negócio, como também garantir boas condições de trabalho aos colaboradores de todas as etapas da cadeia de produção.

Desde o seu lançamento, a iniciativa passou por algumas adaptações a fim de tornar-se mais ampla e eficiente. Uma delas foi a colaboração com a maior organização de licenciamento de algodão sustentável da atualidade — a Better Cotton Initiative (BCI), atualmente presente em mais de 20 países.

Agora, é possível dizer que a ação está bastante alinhada com a legislação brasileira, que também se tornou muito rígida nos últimos anos. Não se engane: para garantir a certificação do Programa Algodão Brasileiro Responsável, é necessário que o produtor siga, em média, 178 requisitos previamente estipulados.

Esse detalhe torna a ação um marco importante para garantir mais sustentabilidade e, inclusive, qualidade na produção do algodão nacional. Em resumo, podemos dizer que essa atitude tem como foco:

  • Estimular a evolução das boas práticas em três pilares: o social, o ambiental e o econômico. A ideia é melhorar a imagem do algodão brasileiro e ampliar o mercado do algodão considerado responsável;
  • Aprimorar a gestão das unidades produtivas sustentáveis;
  • Propagar, entre os parceiros, os principais pilares da sustentabilidade. Com isso, será possível alinhar o setor têxtil aos fatores que orientam entidades, governos e a sociedade.

Os pré-requisitos para alcançar a certificação ABR

Não tem segredo! Para conquistar a famosa certificação ABR, o produtor precisa, inicialmente, fazer a adesão voluntária. Em seguida, será necessário organizar a documentação. Já com tudo pronto, tem início a etapa de verificação.

Nessa fase, as 178 exigências são minuciosamente avaliadas por uma equipe técnica. Caso o produtor esteja de acordo com essa análise, é realizado um acompanhamento frequente. Em paralelo, existem aqueles que necessitam de ajustes. Nesse caso, o órgão libera um plano de correção, que deve ser seguido à risca.

Nesse momento, o produtor passa por uma nova avaliação para garantir que as exigências foram cumpridas. Se tudo estiver certo, a propriedade receberá um auditor para, finalmente, fazer o checklist. A última etapa é essencial para que exista uma reprovação ou aprovação do cadastro.

Os grandes parceiros da Abrapa

Felizmente, diversas empresas estão se orientando na direção da causa sustentável e já firmaram parcerias de apoio institucional com a Abrapa ao longo dos anos. Esse é o caso das Lojas Renner, Martha Medeiros e Mon Petit.

Há também diversas associações que abraçaram a ideia, como a Associação Brasileira dos Designers de Moda (Abest), Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX) e da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecções (Abit).

Uma vez por dentro da iniciativa, as marcas passam a utilizar algodão certificado em suas fabricações, sempre seguindo as práticas de responsabilidade socioambiental definidas pelo ABR.

Durante esse processo, é necessário que o cultivo da matéria-prima não seja responsável por agredir a água e o solo. Ainda é preciso que a produção promova a biodiversidade local e ofereça condições seguras e favoráveis aos agricultores.

No caso das Lojas Renner, a maioria de seus jeans faz parte de uma linha que cumpre, no mínimo, um dos atributos abaixo:

  • Utilização de algodão responsável;
  • Pouco consumo de água;
  • Reciclagem de tecidos da própria confecção.

Viu só que bacana? Com ações como as do Programa Algodão Responsável, todos saem ganhando: desde o produtor, até as marcas e, especialmente, a sociedade e o meio ambiente!