Dicas de marketing de conteúdo para seu e-commerce

Não há mais como ficar de fora do mundo virtual. O significativo avanço da internet modificou as relações interpessoais, facilitou a comunicação e fez surgir uma nova estratégia: o Marketing Digital

Assim como as tradicionais propagandas, o marketing digital visa encantar o público para conquistar novos clientes, porém, tem foco nas ações online.

Entretanto, apesar do viés propagandístico, a internet trouxe inúmeras mudanças na maneira em que consumimos produtos/serviços, bem como nos informamos. 

Por conta disso, as divulgações não se esgotam em anúncios invasivos e sensacionalistas, ao contrário, a intenção é oferecer informação de qualidade e relevante aos usuários.

Então, entre as estratégias de marketing digital mais usadas na internet, destaca-se o marketing de conteúdo. Para saber mais sobre esse conceito, continue com a gente!

 

Marketing de conteúdo: tudo o que você precisa saber para aplicá-lo na internet

O Marketing de Conteúdo é uma estratégia que tem como objetivo engajar o público-alvo, por meio da divulgação de materiais, informações e diversos tipos de conteúdos valiosos. 

Ou seja, muito mais do que simplesmente vender algo, a intenção é criar histórias ao redor do produto/serviço, para que os consumidores sejam encantados pela narrativa, sendo possível gerar valores para as pessoas.

Também chamado de Marketing de Atração, o marketing de conteúdo cria uma percepção positiva da marca e, como consequência, as pessoas vão até o seu negócio por conta própria. 

Desse modo, as chances de conversão de leads (usuários em potenciais clientes) são muito maiores, em comparação com outras estratégias de marketing.

O marketing de conteúdo ganhou um espaço extremamente importante na internet, devido à multiplicidade de informações disponíveis online. 

Atualmente, conseguimos encontrar qualquer coisa nos sites e nos mecanismos de buscas, desde notícias cotidianas, até estudos aprofundados sobre análise da qualidade do ar e pesquisas científicas.

Portanto, o desafio do marketing de conteúdo na internet é realmente oferecer algo diferenciado, objetivo e segmentado, de acordo com as necessidades do público-alvo. 

Com isso, é possível se destacar no mar de informações da internet e da grande competitividade online.

 

Mas, vale mesmo a pena investir em Marketing de Conteúdo?

 

O marketing de conteúdo custa 62% menos do que as demais estratégias de divulgação, além de gerar 3x mais leads do que a publicidade tradicional. 

Outro dado importante aponta que o tráfego em sites que investem no marketing de conteúdo é 7,8x maior, em comparação com outras plataformas.

Sendo assim, a eficácia do marketing de conteúdo já é um consenso entre os estrategistas de divulgação. 

Ademais, vale ressaltar que a aplicação do marketing de conteúdo não diz respeito somente à produção de textos, mas sim, qualquer outro conteúdo que possa educar, informar e cativar os usuários.

As produções em vídeo, por exemplo, são resonsáveis por um crescimento 49% mais rápido, do que os sites que não investem nesse tipo de mídia. 

 

Quer dizer que, ao invés de produzir um artigo explicando como instalar um sistema de segurança eletrônica, podemos elaborar um material audiovisual, mais dinâmico, atrativo e de fácil entendimento.

 

Entre outras vantagens do investimento em marketing de conteúdo, destacam-se:

 

  • Traz 2,2x mais visitas para os websites;
  • Gera 3,2x mais leads para as empresas;
  • Educa o consumidor sobre o produto/serviço;
  • Promove o reconhecimento da marca no mercado.

 

Mais de 70% das empresas brasileiras adotam o marketing de conteúdo como metodologia na aquisição de clientes. 

Além de todas as vantagens mencionadas anteriormente, a estratégia faz com que mais pessoas reconheçam a sua marca, compreendendo mais sobre o produto/serviço que oferece. 

Assim, as vendas aumentam, já que o público tem maior propensão de comprar algo que lhe agrada.

Imagine que uma empresa de móveis planejados para escritório tenha uma coleção exclusiva de mobílias para advogados. 

São produtos muito específicos, mas com uma boa estratégia de marketing de conteúdo, é possível informar usuários segmentados sobre esses artigos, direcionar a divulgação e educá-los sobre os benefícios de adquirir móveis planejados. 

O escritório de advocacia tem maiores chances de fechar negócio com essa empresa, do que com qualquer outra loja de móveis.

Portanto, o marketing de conteúdo guia os clientes em todo o processo de compra, influenciando diretamente na tomada de decisões e aumentando as vendas. 

Por isso, o objetivo central da estratégia não é somente gerar visitas, mas também, contribuir para o reconhecimento da marca e a lucratividade da empresa.

 

Como aplicar o Marketing de Conteúdo no seu e-commerce? 

O e-commerce, também conhecido como “comércio eletrônico”, consiste em um site de venda de produtos/serviços, que funciona como uma espécie de shopping virtual, onde os usuários podem fechar um negócio diretamente pela internet. 

No Brasil, o e-commerce teve um amplo crescimento nos últimos anos, tendo um faturamento de mais de R$ 26,4 bilhões.

Atualmente, os e-commerces podem oferecer praticamente tudo aos usuários. Inclusive, há empresas que só vendem pela internet. 

A vantagem está na ausência de gastos com um espaço físico, além do rompimento de barreiras geográficas. 

Quer dizer que se um usuário na cidade de São Paulo capital quiser comprar uma luminária led industrial de uma loja no Rio de Janeiro, a compra pode ser feita rapidamente, se o e-commerce se dispor ao envio.

Diante do cenário cada vez mais promissor para os e-commerces, muitos deles têm investido em estratégias de marketing digital, com foco em marketing de conteúdo. 

Mas, apenas criar um blog e colocar informações lá diariamente não é fazer marketing de conteúdo – o método demanda um planejamento detalhado, para realmente ter resultados positivos.

Pensando nisso, separamos algumas dicas de como aplicar o marketing de conteúdo no seu e-commerce.

 

1 – Defina o seu público-alvo e crie personas

O sucesso do marketing de conteúdo depende diretamente da definição do público-alvo. Quanto maior a segmentação, maiores são as taxas de conversão, pois você está oferecendo algo realmente necessário para aquele perfil de usuário.

Por exemplo, não dá pra oferecer um roupeiro planejado para quarto pequeno para clientes que moram em casas grandes. 

É necessário focar a divulgação para um perfil específico de pessoas, como casais que moram em apartamentos, famílias com poucos integrantes, entre outros (enfim, pessoas que residem em locais menores, com um quarto pequeno).

Apesar de parecer algo óbvio, muitas empresas enxergam a internet como uma oportunidade de atingir várias pessoas, mas o excesso pode não ser a melhor maneira de atrair potenciais clientes. 

Por isso, faça uma pesquisa com o seu público e defina:

  • A faixa etária dos clientes;
  • O gênero principal de compradores;
  • Os ganhos mensais e renda;
  • A classe social do seu público-alvo;
  • A região principal de residência dos clientes.

Com essas informações, é possível construir uma persona, que nada mais é que um personagem semi fictício, que representa a figura do cliente ideal. 

A persona é acompanhada com uma história de vida, dessa maneira, é possível humanizar as divulgações e a empresa fica mais próxima do público.

 

2 – Produza conteúdo com SEO

O SEO (Search Engine Optimization) consiste em um conjunto de técnicas para otimização nos mecanismos de busca, especialmente o Google. 

Na prática, ao escrever um texto sobre um sistema de gestão empresarial, por exemplo, devemos utilizar uma série de palavras-chaves, que são os termos mais pesquisados no Google. 

Com isso, o seu conteúdo tem melhor ranqueamento no buscador e, consequentemente, mais pessoas acessam o seu website.

Para termos uma ideia das potencialidades do SEO, basta verificar o tamanho do Google: o buscador tem mais de 2 trilhões de pesquisas por ano e 3,5 bilhões por dia. 

Em 2013, o Google ficou 5 minutos fora do ar, reduzindo o tráfego global da internet em 40%!

 

3 – Escolha canais adequados

O marketing de conteúdo é extremamente versátil: ele pode ser usado em blogs, sites, redes sociais e muitas outras plataformas. 

Mas, assim como é preciso definir o público-alvo para maior assertividade, também devemos escolher os canais de divulgação adequados.

Por exemplo, um profissional que presta serviços de conserto de placa eletrônica pode ter mais visitantes no seu website após divulgar um anúncio no Facebook. 

Isso demonstra que o marketing de conteúdo pode se concentrar nessa rede social, porém não apenas nesse canal.

O interessante é diversificar as mídias para atrair novos leads, mas sempre analisar os resultados da campanha de marketing para saber quais estratégias tiveram resultados positivos.

 

4 – Produza materiais ricos

Ao trabalhar com o marketing de conteúdo, precisamos compreender que o cliente transita por variados pontos na decisão de compra. 

Quanto mais perto ele está de fechar o negócio, mais informação específica ele deseja. Portanto, é preciso investir na elaboração de materiais ricos.

Por exemplo, você pode construir um texto informando o que é e para o que serve uma etiqueta de segurança

Será um conteúdo ótimo para quem está procurando pelo produto, mas ainda não tem nenhum conhecimento sobre o item. 

Entretanto, se você quer focar em um cliente que já conhece a etiqueta, seria interessante montar um e-book, webinar (vídeo educativo) ou outro conteúdo mais aprofundado.

Por essa razão, o marketing de conteúdo está presente em toda a jornada de compra do cliente, sendo preciso acompanhá-lo para aplicar novas estratégias e oferecer conteúdos cada vez mais relevantes.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.