Como funciona o sistema de créditos de energia solar

Os créditos de energia solar se destacam como uma das principais vantagens que um sistema fotovoltaico tem a oferecer, proporcionando economia e fazendo com que o valor investido pelo proprietário do imóvel retorne em descontos na conta de luz. Este é um sistema devidamente regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEL), e diz respeito à quantidade de energia excedente gerada.

Os chamados créditos de energia solar são resultantes da “sobra” da energia produzida em uma unidade geradora: quando a energia não é utilizada, ela pode ser cedida à concessionária da região. Em troca, a empresa abate esses créditos automaticamente da próxima conta de luz, sempre que a residência ou comércio consumir mais do que a energia produzida.

Entenda como funcionam os créditos de energia

O aproveitamento de créditos de energia solar só é possível em sistemas de geração on grid, que estão conectados à rede pública de energia. No caso dos sistemas isolados, chamados off grid, são utilizadas baterias para armazenar a energia excedente até que seu uso seja necessário.

No sistema on grid, quando não é gerada energia suficiente para alimentar o imóvel, a eletricidade proveniente da rede pública passa a ser consumida automaticamente. Por outro lado, nos meses em que a produção de energia é maior do que o consumo, o excedente é injetado na rede pública em troca de uma compensação.

Esses créditos podem ser utilizados a partir do abatimento do consumo nos meses em que há geração insuficiente, ou ser descontados diretamente na conta de luz. Isso significa, portanto, que mesmo um imóvel que gera sua própria energia recebe uma conta de luz — mas ela pode chegar zerada ou bastante reduzida.

O que acontece se os créditos não forem utilizados?

Um aspecto importante a respeito da utilização dos créditos de energia solar é que eles não retornam em forma de dinheiro ao consumidor, sendo medidos em quilowatts-hora. Esses créditos têm validade de 60 dias e, caso não sejam utilizados no mês vigente da geração, podem ser abatidos da próxima conta de luz.

Outra opção para o caso de os créditos não serem utilizados é a possibilidade de transferi-los para outra unidade consumidora. Para que isso ocorra, entretanto, é necessário que a titularidade dos dois locais seja igual, além de ambos os imóveis estarem localizados no raio de distribuição da mesma concessionária de energia.

Este recurso de compartilhamento entre unidades consumidores pode ser muito interessante para pessoas que desejam compartilhar os créditos entre sua casa principal e um imóvel de férias, por exemplo. Empresários que contam com sede e filial também podem aproveitar esta possibilidade.

No caso de condomínios, também é possível compartilhar a energia gerada para as áreas comuns ou entre todas as faturas de luz.

Vantagens dos créditos de energia solar

O formato de compensação por meio de créditos de energia solar pode ser muito vantajoso para o consumidor, trazendo benefícios como:

  • Redução de custos com a conta de luz;
  • Possibilidade de abatimento no Imposto de Renda;
  • Isenção de impostos;
  • Retorno do dinheiro investido com o sistema de geração solar, a longo prazo.

Esse sistema ainda é relativamente novo no Brasil, mas está crescendo a passos largos, em virtude da escassez hídrica e o consequente aumento da conta de energia elétrica gerada por hidrelétricas, que são as maiores fontes de energia no Brasil.