Curiosidade: como se tornar um piloto de fórmula 1?

Se você é um amante do mundo das velocidades, provavelmente já ouviu falar do nosso maior ídolo do automobilismo. O famoso piloto Ayrton Senna foi multi campeão na categoria mais disputada no mundo da velocidade. 

Mas para chegar até ser campeão da categoria a maioria dos pilotos trabalharam muito e passaram por diversas etapas até poder ter a oportunidade de pilotar um carro a mais de 300km/h no esporte mais caro do mundo. 

Assim, se você quer saber como se tornar um piloto de Fórmula 1 acompanhe-nos nas curvas deste artigo e veja as etapas mais conhecidas até o lugar mais alto do pódio. 

Início de tudo

Muitos pilotos iniciam a carreira pilotando karts, com média de idade de 6 a 9 anos, o período de início é feito na maioria das vezes por intermédio de familiares que correm ou são amantes da velocidade. 

Assim, este primeiro contato é feito desde cedo, correndo em pequenas provas, campeonatos sem muita expressão. Estas pequenas provas além de trazer vivência em pistas é uma forma de ir dando experiência para os pequenos pilotos. 

Mas para ser piloto de F1 precisa passar pelo Kart?

A resposta é não, na história da categoria existem exemplos onde pilotos campeões não tiveram o início da carreira no Kart. Desta forma, a presença não é obrigatório no início no Kart. 

Claro, ter experiência desde cedo com o meio é um passo a mais para quem busca este sonho. 

Nós brasileiros tivemos e temos a honra de contar com 31 pilotos que passaram ou atuam no cockpit dos carros da Fórmula 1.

Idade Mínima para pilotar

Em tese não existe idade mínima para se tornar piloto. Porém, não é qualquer interessado que pode assumir. Na história o piloto mais novo a se tornar piloto de Fórmula 1 foi o holandês Max Verstappen foi o mais jovem a estrear na Fórmula 1, com apenas 17 anos e 166 dias.

Atuando em outras categorias

Após anos de experiência e com o crescimento do futuro piloto o caminho mais comum para alcançar o objetivo é ingressar em categorias de base, como por exemplo:

  • Fórmula Renault
  • Fórmula BMW
  • Fórmula 3 Inglesa
  • Fórmula 3
  • Fórmula 2

Que são categorias menores que a Fórmula 1 porém, é a categoria que mais chama a atenção dos chefes das grandes equipes. A maioria dos pilotos que atuaram na temporada 2022 de Fórmula 1 passaram por alguma destas categorias citadas acima.

Só correr na base garante que seja escalado para subir de nível. Pelo contrário, se você manter um nível médio nestas competições dificilmente subirá para piloto oficial de alguma equipe de F1. 

O piloto precisa se destacar de forma positiva, conquistando várias corridas, mostrando que possui algo à mais, o algo à mais que os chefes de equipe buscam para formar um novo campeão.

Características como: espírito de liderança, trabalho em equipe, cautela, coragem, bons reflexos, pensamento rápido são algumas das características que as equipes buscam para seus pilotos.

Investimento 

Para que você possa dar continuidade e alcançar o tão sonhado posto de piloto, o interessado precisará contar com um investimento alto. Ou seja, para poder aparecer e gerar interesse em equipe você precisa correr e para correr você precisa ter um carro e uma equipe. E isso custa dinheiro, aliás, muito dinheiro. 

Assim, o investimento para realizar este sonho pode ser feito do próprio bolso ou buscar parceiros e patrocinadores. Tornando o caminho mais “fácil”. Empresas relacionadas ao mundo do automobilismo são as empresas que costumam investir mais neste negócio. 

Empresas especializadas em veículos como a Noxcar podem se interessar em patrocinar todos seus custos para que você possa se tornar piloto da F1 algum dia.

Licença de piloto

Para que você possa sentar no posto de piloto de uma equipe na elite do automobilismo, você precisa ter todos os requisitos acima e ainda obter uma licença própria da categoria. Esta “habilitação” é feita em forma de curso em escolas de pilotagem de F1, credenciadas pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) para realizar provas e testes para que o piloto esteja apto para assumir a direção. 

Os pilotos passam por treinamento em simuladores, provas teóricas e provas práticas para que possam almejar a licença. 

E estes pilotos ficam sujeitos a algumas punições no decorrer de cada temporada, sendo possível perder pontos por “infrações” como brigas, não seguir regras e prejudicar outros pilotos de maneira proposital podem render sérias punições. 

Ao completar 12 pontos perdidos o piloto perde sua licença e deve passar por novo treinamento ou sofrer punições severas. 

No Brasil, nosso último piloto oficial a atuar em uma equipe da elite da Fórmula 1 foi o piloto Felipe Massa. Desde o fim de 2017, quando Felipe Massa deixou a F1, não houve mais representantes do país por lá como piloto principal. Porém, temos um piloto de testes da equipe Haas, seu nome é Pietro Fittipaldi.