O Turismo no Mundo Pós-Covid: Medidas para Construir um Futuro Melhor

Recentemente, foi publicado um artigo no blog do Banco Mundial falando sobre o que se esperar do turismo no mundo pós-Covid.

Embora esse estudo tenha sido feito tomando com base países da Europa, podemos fazer uma correlação com o turismo no Brasil.

Isso porque o turismo foi um dos setores mais afetados pela crise do novo coronavírus.

Mais de um ano após o início da pandemia, os números indicam que os destinos turísticos receberam 1 bilhão de chegadas internacionais a menos comparando ao ano anterior.

E sem falar que a crise colocou em risco alguns milhões de empregos na área do turismo, não apenas em hotéis e pousadas, mas agências de viagens, restaurantes, etc.

Quais as medidas propostas para construir um futuro melhor?

O turismo pós-Covid: quais medidas para um futuro melhor?

À medida que a vacinação está avançada em muitos países, o setor do turismo está no caminho da recuperação, mas é ainda uma grande preocupação para as economias em desenvolvimento.

Lembrando que o turismo não é apenas uma fonte importante de divisas, mas também fortalece as cadeias de abastecimento, gera milhares de empregos e serve também para alavancar empresas locais.

Pensando no que será do turismo, um evento da OMC – Organização Mundial do Comércio -, foi promovido com o objetivo de fazer um balanço da ajuda ao comércio.

Para isso, representantes da Costa Rica, Jordânia, Quênia e Sri Lanka falaram do que têm feito para reativar a atividade turística em seus países, onde a sustentabilidade foi uma unanimidade.

As medidas propostas

A partir desse encontro, as principais medidas propostas estão diretamente ligadas a um turismo sustentável e em promover a confiança dos viajantes.

Uma vez que a crise da Covid-19 é principalmente de natureza sanitária, os desafios são melhorar a segurança sanitária e fortalecer a confiança dos turistas.

Por isso que as equipes do Grupo do Banco Mundial trabalham em pesquisas para avaliar as empresas, mudanças estratégicas no setor de aviação e pesquisas de mercado.

E algumas dessas análises mostraram que os turistas vão privilegiar viajar de carro e no seu próprio país, e assim, muitos locais serão revitalizados, e com isso, a criação de novos empregos e o desenvolvimento de atividades locais.

Por exemplo, a princesa da Jordânia destacou o papel da realidade virtual para entreter os turistas, especialmente aqueles que trabalham remotamente, o que já vem sendo feito no Brasil.

Qual é a realidade do turismo no Brasil?

Na mesma linha do que relatou a princesa da Jordânia, várias pousadas em Japaratinga têm adotado esse modelo, que é oferecer aos seus hóspedes toda uma infraestrutura de trabalho home office, mas ao mesmo tempo um espaço de lazer.

E não é à toa que houve um aumento considerável de reservas, principalmente para fugir da rotina do dia a dia, pois os profissionais conseguem conciliar seu trabalho e vida pessoal.

Mesmo que a pandemia esteja longe de acabar, todos os envolvidos no setor do turismo devem começar a planejar um futuro melhor.

As demandas agora são outras, e a chave é oferecer espaços seguros e que sigam todos os protocolos de saneamento e higiene.

E sem falar que muitos países não estão aceitando brasileiros, além do dólar muito alto, logo, é o momento para investir no turismo local.

Como será o futuro do turismo no Brasil?

Assim como o evento promovido pelo Banco Mundial, alguns empresários do setor têm se reunido para encontrar saídas para impulsionar o turismo no Brasil.

Seja fazendo adaptações em pousadas e hotéis para cumprir com as exigências sanitárias, seja oferecendo pacotes mais atrativos, é preciso repensar os modelos existentes.

Como já foi dito, as demandas e necessidades hoje são outras, e as empresas precisam focar para atender a essas novas necessidades.

As pessoas não querem apenas viajar por viajar, mas desejam encontrar um local onde se sintam seguras, que possam levar suas famílias e de preferência, um local que ofereça um espaço para trabalhar remotamente.

Esse será o futuro do turismo no Brasil, se hotéis e pousadas não se readequarem a esse novo cenário, com certeza, estarão com seus dias contados.