Tudo sobre o concurso para Polícia Civil de Minas Gerais

Fique por dentro das informações necessárias para alcançar os melhores resultados.

Com 519 vagas para ensino superior, o concurso para polícia civil de Minas Gerais atenderá a diferentes nichos de atuação. Delegado, escrivão, investigador, perito criminal e médico legista são os cargos disponíveis.

Para perito criminal, as áreas compreendidas são a geral e a específica, sendo engenharia civil, engenharia geológica, geologia e medicina veterinária. Os salários variam entre R$4.631,23 e R$10.028,30.

O edital já foi publicado; as inscrições podem ser realizadas até o dia 09 e o pagamento das taxas, até o dia 10 de novembro. Os valores foram estipulados de acordo com as vagas almejadas, sendo R$90,00 para escrivão, R$120,00 para perito criminal, R$160,00 para médico legista e R$210,00 para delegado.

Sobre as etapas do concurso:

Serão cinco etapas comuns para todos os cargos e uma específica para os escrivães, totalizando seis para este posto, exclusivamente.

Prova objetiva específica

A primeira avaliação será objetiva. Para os candidatos a delegados, haverá 70 questões; para os demais, 60. Cada exercício possui quatro alternativas, sendo que apenas uma é a correta.

O valor de cada resposta certa é equivalente a 01 ponto. Será classificado para a próxima etapa aquele que atingir 60% de aproveitamento, desde que em cada disciplina acerte ao menos 20%. Caso a somatória final atinja o valor necessário, mas nas disciplinas não consiga o mínimo específico, será igualmente eliminado.

Prova prática de digitação

Apenas para escrivães, essa etapa terá caráter eliminatório e será realizada em Belo Horizonte. Dos inscritos, só os 1.191 mais bem colocados na prova objetiva específica participarão, incluindo as 119 vagas para PcDs.

Aqueles que não alcançarem a marca de 700 toques líquidos no teclado em 5 minutos serão automaticamente desclassificados.

Exames biomédico e biofísico

Sendo aprovados nos exames biomédicos, os candidatos farão os exames biofísicos, que consistem em flexão de braço, impulsão horizontal, corrida de 50 metros rasos e teste de cooper em 12 minutos.

Em cada teste, a pontuação máxima a ser atingida é de 25 pontos. Serão aprovados aqueles que pontuarem um total de pelo menos 60, sendo que deve haver um mínimo de 2 pontos em cada prova.

Avaliação Psicológica

Serão consideradas a inteligência, a personalidade para o ambiente de trabalho e as aptidões específicas a partir dos métodos adequados da Psicologia. Caso não atinjam as expectativas esperadas, os concorrentes serão eliminados.

Investigação social

São reunidos dados de conduta e comportamento dos candidatos, por meio do trabalho de policiais militares em trajes civis. A investigação é sigilosa e, a depender do veredicto, o concorrente poderá ser eliminado.

Prova de títulos

Chegam nesta etapa apenas os que foram aprovados em todas as anteriores, sendo ela classificatória. O diploma de Ensino Superior é essencial e equivale a dois pontos, assim como especializações latu sensu. Para mestrado ou doutorado stricto sensu, a pontuação é de três e quatro pontos, respectivamente.

Há também a possibilidade de somar três pontos a mais caso o candidato tenha concluído cursos na Academia de Polícia Civil de Minas Gerais ou de igual natureza policial, com 80 horas em aulas ou mais.

O que estudar?

Caso o interesse seja a vaga para delegado, o aspirante deverá estudar Direito Administrativo, Civil, Constitucional, Penal, Processual Penal e Medicina Legal, sendo dez questões para cada, além de cinco sobre Noções de Criminologia e cinco sobre Direitos Humanos.

Para os candidatos a escrivães e investigadores, é essencial estudar Língua Portuguesa e ter noções de Direito, Informática e Direitos Humanos, pois haverá dez questões de cada. Criminologia e Medicina Legal juntas somarão mais 10 questões.

Ademais, é necessário estudar a Lei Orgânica da Polícia Civil de Minas Gerais, isto é, as leis Estadual nº 5.406, de 16 de dezembro de 1969, e Complementar nº 129/2013, de 08 de novembro de 2013, além de suas respectivas alterações.

Os médicos legistas terão 60 questões, abrangendo Psiquiatria Forense, Patologia, Toxicologia Forense, Medicina Legal, Direitos Humanos e Língua Portuguesa.

Para a vaga de perito criminal geral, haverá questões de Biologia, Língua Portuguesa, Matemática, Física, noções de Informática e Direitos Humanos, sendo dez de cada. A diferença para a vaga de perito criminal específica é o acréscimo de 10 questões da área de atuação e a diminuição das questões de Informática e Biologia, que caem para cinco de cada.

Criar uma rotina de estudos e separar os documentos com antecedência ajudará na organização. Realizar provas antigas é uma ótima estratégia para treinar tempo de leitura e resolução dos exercícios, bem como filtrar em quais assuntos focar.